Blog
Construsite Brasil & MicDesigner. Todos os direitos reservados.
O Passo-a-Passo Que Me Tornou Minimalista
22 de agosto de 2017 por Michael Alexsander
"Quando quero comprar algo, espero alguns dias pra ver se a vontade passa, que é o que normalmente acontece. Se a vontade não passar, então me planejo e compro, sem me arrepender."

Pois éh! Sou metódico, confesso que isso me prejudica mais do que me ajuda. Por diversas vezes me pego paralisado diante uma importante tomada de decisão. Mas não há melhor situação para uma pessoa metódica que a falta de alternativas, pô-la em xeque é o mesmo que lhe dar energia. Criar um "passo-a-passo" para superar uma situação indesejada é meu forte, veja o que fiz:

Passo 1. Montei um Orçamento Doméstico

Tudo que compro é pensado e repensado, evito ao máximo as compras por impulso. Quando quero comprar algo, espero alguns dias pra ver se a vontade passa, que é o que normalmente acontece. Se a vontade não passar, então me planejo e compro, sem me arrepender. É importante ressaltar que apesar de uma ótima gestão financeira pessoal e de algumas contenções na gestão de dinheiro, isso não quer dizer que o Minimalismo seja sinónimo de "pão-durice".

Criar um Orçamento Financeiro Doméstico é primordial pra um Minimalista, através dele sei para onde meu dinheiro está indo. Ao desenvolver um orçamento pessoal, por mais simples que ele seja, eu enxergo todo o movimento do meu dinheiro, como ele entra na minha carteira e nas contas bancárias, e o principal, como e pra onde ele vai. Visualizo um mapa em que cada centavo tem um gps e posso rastreá-lo.

Eu aprendi a criar e usar, da forma correta, um Orçamento Financeiro Doméstico/Pessoal com o Dr. Money, aqui.

Passo 2. Transformei Objetivos em Metas Financeiras

Acreditei que era capaz de materializar minhas metas planejadas, e hoje sou mais feliz. Mas não foi sempre assim, já fui descrente, e percebi que desacreditar na minha capacidade de construir algo condicionava negativamente minhas ações, me induzindo a fraquejar em momentos cruciais da jornada financeira. Muitos de meus insucessos – foram vários, mas isso é assunto para um novo texto, quem sabe um livro: Meus Insucessos, rsrs... – se originam não no meu bolso, mas na minha mente, cética no êxito de meus planejamentos financeiros mais audaciosos.

Percebido isso, criei objetivos claros, isso foi fundamental para o sucesso do meu planejamento financeiro. Afinal de contas, tive que fazer alguns sacrifícios, abrir mão de alguns hábitos de consumo para concretizar minhas metas.

Um Minimalista deve sempre trabalhar com listas, fiz minha lista de objetivos e estipulei grau de prioridade para cada um deles, classifiquei-os em metas de curto, médio e longo prazo, para assim me organizar melhor e definir minha estratégia para colocar tudo em prática. Aprendi muito com a Dica dos 3 Cofrinhos, inclusive o conceito de prazos para realizar sonhos, fantásticooo.

Na transição entre minha vida bagunçada e o Minimalismo tive que vencer uma briga interior entre matemática e psicologia. Vi que quanto maior o prazo, menor era meu esforço financeiro mensalmente. Por um lado isso foi positivo, apertou menos meu bolso. Mas sou ser humano, e como tal sou impaciente, quero tudo pra ontem e não consigo esperar o amanhã, o que desfavoreceu minhas metas de longo prazo.

Pra diminuir minha ansiedade utilizei a técnica da "evidência". Criei e fixei, literalmente, uma imagem minha bem clara, alcançado esse objetivo. Isso deu à minha mente e, em particular, ao sistema de ativação reticular, um alvo para concentrar minha atenção.

Passo 3. Formei um Fundo de Emergência

Tenho que confessar, eu não conseguia juntar dinheiro porque ao ver o montante crescendo dava uma vontade louca de fazer alguma coisa com o volume financeiro acumulado. Contudo, devemos lembrar que imprevistos acontecem com todas as pessoas. É impossível fugir dessa realidade, já que estamos lidando com uma parcela do planejamento que não tem como mensurar com muita precisão: o futuro. De uma hora para outra podemos ficar doentes; o carro pode quebrar; podemos perder o emprego; pode acontecer algum acidente; podem acontecer muitas coisas em nível de urgência e isso pode desestabilizar nossas finanças e nossa família.

Se não estivermos preparados podemos ter sérias dores de cabeça com uma das partes mais sensíveis do ser humano moderno: o bolso. Qualquer que seja o imprevisto, eles têm uma coisa em comum: para que as coisas voltem ao normal (ou ao mais próximo do normal) é necessário gastar dinheiro. Nosso amigo Phillip Souza dá dicas de como começar a formar esse fundo para Emergências.

O 4º e último passo para me tornar Minimalista é, sem dúvida, o mais importante. Confira o último passo aqui.



Michael Alexsander
Michael Alexsander
-
Empreendedor Serial, Bacharel em Administração e MBA Executivo em Gestão de Custos pela PUC-MG. Educador Financeiro e Sócio-fundador do Dr.Money, plataforma de consultoria financeira pessoal completa e 100% online.


APRENDA A SER RICO

Voltar